sexta-feira, 29 de maio de 2009

Enfim, antes...


Na última postagem, a reflexão era "por que não antes?"

Até que enfim, agora pode ser dito: Graças a Deus, agora foi feito antes...

É com alegria que vemos a informação sobre a cessão por parte do Poder Público Federal à Prefeitura da área da antiga estação ferroviária.

A reportagem pode ser lida aqui.

Independente do governo, partido, coligação, é importantíssimo nós limeirenses atuarmos em medidas que organizam Limeira e propiciam que ela cuide da sua história.

Agora é só esperar para ver como ficará o novo Centro Cultural.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Por que não antes?


Merece ser lida e refletida a coluna opinião "A validade do discurso" publicada pelo Jornal de Limeira e que está disponível aqui.


Ela trata sobre a necessidade de fazermos uma reflexão pelo tamanho do medo e do ódio que as lideranças de Limeira têm do movimento.


Ela faz também uma afirmação intrigante: "Diante das diversas opiniões que temos ouvido, é legítimo questionar também quem tem interesse na área do horto, quais são eles e por que nunca houve mobilização antes de alguém cultivar a terra do local."


Essa foi a dúvida que tive em 2007 quando visitei o acampamento Elizabeth Teixeira. Fiquei impressionado com o tamanho que a área do Horto realmente possuía. Para mim, era apenas a área ocupada pela área de Lazer, CR e Aterro.


Outro questionamento que fiz foi o por que de aquela área estar entregue apenas ao fogo e nunca ser utilizada em proveito da população?


Disso, tiramos outras indagações:


1 - Por que não concluíram a compra ou cessão antes, já que a Prefeitura a utiliza desde 1983?


2 - Por que que tantas pessoas mobilizaram-se em colocar os adesivos da Campanha "Salve o Horto" em seus carros e nunca se preocuparam com aquele espaço?


3 - Por que nós como sociedade, esperamos a fumaça ocupar tudo para correr atrás do fogo? Por que esperamos a ocupação para dar importância a esta área tão cara ao cidadão limeirense?


Particularmente, prefiro toda aquela área reflorestada e ocupada com um grande espaço de lazer para o município. Mas prefiro que ela seja ocupada por um movimento, que seja reflorestada e cuidada a continuar a vê-la como matagal entregue apenas ao fogo.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Programa Um grau a menos.

Fuçando na Internet, achei esta campanha e ela é bem interessante (e simples)!!!

O objetivo é difundir entre as pessoas a questão de pintar os telhados na cor branca. Pode paracer campanha tipo, apague as luzes por 1 minuto e depois continue usando-as. MAS NÃO!


Este esforço atua na diminuição do efeito conhecido como Ilha de Calor. Esse efeito é decorrente da grande extensão de área pavimentadas e concretadas nas cidades. Como essas estruturas absorvem muita energia, ela cria uma "bolha" de ar quente nas cidades. A foto acima
(presente no site) ilustra este efeito.

A cor branca reflete a luz e acaba por absorver menos calor. Com isso, a casa aquece menos, utiliza-se menos energia que resulta em menor quantidade de gás carbônico (CO2) emitido para a atmosfera.

Quem quiser conhecer mais sobre o programa, clique aqui.

Discussões de Projetos de Lei na Web.


Enfim, uma boa notícia vindo de Brasília. Oxalá!!! Aleluia irmãos!!!


Ainda mais vindo do Poder Legislativo que anda mais sujo que vaso sanitário de balada...

Em breve, a Câmara dos Deputados lançará um espaço conhecido como rede social-e-democracia que pode ser lido no site da folha aqui.

A ideia é ser um espaço onde o cidadão poderá entrar e discutir os projetos de lei que tramitam pela casa.



Mas como forma de proteção, não se pode reclamar dos políticos, apenas discutir so projetos. Esperar muito já seria milagre...


A reportagem cita ainda que de tempo em tempo, todas as informações serão compiladas e serão repassados para os deputados e deputadas para que eles possam considerar as considerações populares.

A foto acima mostra uma imagem disponível na reportagem.

Vamos ver...

O medo que os políticos têm do controle exercido pelo povo



Depois que iniciei este trabalho aqui, pude ver como muitos políticos morrem de medo de ter que prestar às contas ao povo. Principalmente os mais antigos que foram formados na doutrina do "você sabe com quem está falando?"


Acompanhando as sessões da Câmara, percebe-se claramente como as atitudes das pessoas mudam quando o plenário está cheio. Se bem que o regimento da Câmara é ridículo quanto à liberdade do povo. As pessoas não podem nem se manifestar em silêncio.

Para o regimento da Câmara, os eleitores não são pessoas inseridas na sociedade, e sim samambaias que apenas decoram o ambiente e os deixam com uma cara mais "democrática". Isto precisa ser repensado urgentemente...

Outra questão é a notícia veiculada aqui. Ela mostra a vontade dos políticos de Brasília que querem filtrar quais repórteres podem entrar porque eles temem àqueles qua não fazem trabalho "chapa branca" e colocam os políticos no fogo, perguntando coisas que eles deveriam saber, já que são tão bem pagos para aprenderem...

Vale fazermos esta reflexão: qual a sua atuação no acompanhamento dos trabalhos dos políticos?

Não precisa estar presente em todas as sessões, mas pelo menos acompanhe o que lá está acontecendo e discuta com as pessoas em seu meio. Isso já será um grande passo... e o mais importante, acompanhe quem você votou.

Uma dúvida: você se lembra em quem votou nas últimas eleições?

terça-feira, 26 de maio de 2009

O século dos direitos da Mãe Terra. (por Leonardo Boff)


A afirmação mais impactante do dicurso do presidente da Bolívia Evo Morales Ayma no dia 22 de Abril na Assembleia Geral da ONU ao se proclamar este dia como o Dia Internacional da Mãe Terra talvez tenha sido a seguinte: “Se o século XX é reconhecido como o século dos direitos humanos, individuais, sociais, econômicos, políticos e culturais, o século XXI será reconhecido como o século dos direitos da Mãe Terra, dos animais, das plantas, de todas as criaturas vivas e de todos os seres, cujos direitos também devem ser respeitados e protegidos”.


Aqui já nos defrontamos com o novo paradigma, centrado na Terra e na vida. Não estamos mais dentro do antropocentrismo que desconhecia o valor intrínseco de cada ser, independentemente, do uso que fizermos dele. Cresce mais e mais a clara consciência de que tudo o que existe merece existir e tudo o que vive merece viver.

Consequentemente, devemos enriquecer nosso conceito de democracia no sentido de uma biocracia ou democracia sócio-cósmica porque todos os elementos da natureza, em seus próprios níveis, entram a compor a sociabilidade humana. Nossas cidades seriam ainda humanas sem as plantas, os animais, os pássaros, os rios e o ar puro?

Hoje sabemos pela nova cosmologia que todos os seres possuem não apenas massa e energia. São portadores também de informação, possuem história, se complexificam e criam ordens que comportam certo nível de subjetividade. É a base científica que justifica a ampliação da personalidade jurídica a todos os seres, especialmente aos vivos.

Michel Serres, filósofo francês das ciêencias, afirmou com propriedade:” A Declaração dos Direitos do Homem teve o mérito de dizer ‘todos os homens têm direitos’ mas o defeito de pensar ‘só os homens têm direitos’”. Custou muita luta o reconhecimento pleno dos direitos dos indígenas, dos afrodescendentes e das mulheres, como agora está exigindo muito esforço o reconhecimento dos direitos da natureza, dos ecossistemas e da Mãe Terra.

Como inventamos a cidadania, o governo do Acre de Jorge Viana cunhou a expressão florestania, quer dizer, a forma de convivênicia na qual os direitos da floresta e de todos os que vivem dela e nela são afirmados e garantidos.

O Presidente Morales solicitou à ONU a elaboração de uma Carta dos direitos da Mãe Terra cujos tópicos principais seriam: o direito à vida de todos os seres vivos; o direito à regeneração da biocapacidade do Planeta; o direito a uma vida pura, pois a Mãe Terra tem o direito de viver livre da contaminação e da poluição; o direito à harmonia e ao equilíbrio com e entre todas as coisas. E nós acrescentarímos, o direito de conexão com o Todo do qual somos parte.

Esta visão nos mostra quão longe estamos da concepção capitalista, da qual ficamos reféns durante séculos, segundo a qual a Terra é vista como um mero instrumento de produção, sem propósito, um reservatório de recursos que podemos explorar ao nosso bel prazer. Faltou-nos a percepção de que a Terra é verdadeiramente nossa Mãe. E Mãe deve ser respeitada, venerada e amada.

Foi o que asseverou o Presidente da Assembléia Miguel d’Escoto Brockmann ao encerrar a sessão: “É justíssimo que nós, irmãos e irmãs, cuidemos da Mãe Terra pois é ela que, ao fim e cabo, nos alimenta e sustenta”. Por isso, apelava a todos que escutássemos atentamente os povos originários, pois, a despeito de todas as pressões contrárias, mantém viva a conexão com a natureza e com a Mãe Terra e produzem em consonância com seus ritmos e com o suporte possível de cada ecossistema, contrapondo-se à rapinagem das agroindústrias que atuam por sobre toda a Terra.

A decisão de acolher a celebração do Dia Internacional da Mãe Terra da Terra é mais que um símbolo. É uma viragem no nosso relacionamento para com a Terra, escapando do padrão dominante que nos poderá levar, se não fizermos transformações profundas, à nossa autodestruição.

(Leonardo Boff)

PS: a foto acima fiz em janeiro deste ano em Ubatuba-SP

Eduardo Galeano: a linguagem, as coisas e seus nomes

Recebi esse texto por e-mail e vale ser postado aqui para refletirmos nossas atitudes sociais, e também as atitudes dos outros.

A linguagem, as coisas e seus nomes

Na era vitoriana era proibido fazer menção às calças na presença de uma senhorita. Hoje em dia, não fica bem dizer certas coisas perante a opinião pública:

O capitalismo exibe o nome artístico de economia de mercado;

O imperialismo se chama globalização;

As vítimas do imperialismo se chamam países em via de desenvolvimento, que é como chamar de meninos aos anões;

O oportunismo se chama pragmatismo;

A traição se chama realismo;

Os pobres se chamam carentes, ou carenciados, ou pessoas de escassos recursos;

A expulsão dos meninos pobres do sistema educativo é conhecida pelo nome de deserção escolar;

O direito do patrão de despedir sem indenização nem explicação se chama flexibilização laboral;

A linguagem oficial reconhece os direitos das mulheres entre os direitos das minorias, como se a metade masculina da humanidade fosse a maioria;
em lugar de ditadura militar, se diz processo.

As torturas são chamadas de constrangimentos ilegais ou também pressões físicas e psicológicas;

Quando os ladrões são de boa família, não são ladrões, são cleoptomaníacos;

O saque dos fundos públicos pelos políticos corruptos atende ao nome de
enriquecimento ilícito;

Chamam-se acidentes os crimes cometidos pelos motoristas de automóveis;

Em vez de cego, se diz deficiente visual;

Um negro é um homem de cor;

Onde se diz longa e penosa enfermidade, deve-se ler câncer ou AIDS;

Mal súbito significa infarto;

Nunca se diz morte, mas desaparecimento físico;

Tampouco são mortos os seres humanos aniquilados nas operações militares: os mortos em batalha são baixas e os civis, que nada têm a ver com o peixe e sempre pagam o pato, danos colaterais;

Em 1995, quando das explosões nucleares da França no Pacífico Sul, o embaixador francês na Nova Zelândia declarou: “Não gosto da palavra bomba. Não são bombas. São artefatos que explodem”;

Chama-se Conviver alguns dos bandos assassinos da Colômbia, que agem sob proteção militar;

Dignidade era o nome de um dos campos de concentração da ditadura chilena e Liberdade o maior presídio da ditadura uruguaia;

Chama-se Paz e Justiça o grupo militar que, em 1997, matou pelas costas quarenta e cinco camponeses, quase todos mulheres e crianças, que rezavam numa igreja do povoado de Acteal, em Chiapas.

* Do livro De pernas pro ar, editora L&PM

(Envolverde/ Agência Carta Maior)

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Novas Tecnologias, Novas Relações

Quem foi à celebrção eucarística deste domingo, dia 24 de maio, celebrou a Ascensão do Senhor. Muitas comunidades utilizam-se dos folhetos "O Domingo" nas celebrações, mas sei que muitas pessoas não têm o costume de ler as reflexões ao final deles. Gostei muito da reflexão do padre Valdir. Ela trata sobre nossos deveres enquanto esperamos o Senhor.

Vale a pena ser refletida.

Celebramos, neste domingo, a solenidade da Ascensão do Senhor. É celebração da esperança, pois Jesus ressuscitado nos mostra que a eternidade feliz, junto de Deus Pai, nos aguarda e que a vida terrena é o caminho para atingi-la.

Os discípulos deverão “esperar” em ação, obedientes ao mandato: “Vão por todo o mundo e anunciem a Boa Nova a todas as criaturas” (Mc 16, 15). Trata-se de uma destinação que alcança todas as dimensões da existência, todos os ambientes da convivência e todos os povos.

A mesma esperança dos primeiros discípulos anima hoje a Igreja, que busca seguir os passos de Jesus consciente de que a essência da evangelização consiste em defender a vida em todos os sentidos, especialmente onde predominam o sofrimento e a morte. “Essa tarefa inclui a opção pelos pobres, a promoção humana integral e a autêntica libertação cristã” (DA 146).

Motivados por esse espírito missionário, celebramos hoje o 43º Dia Mundial das Comunicações, cujo tema é: “Novas tecnologias, novas relações. Promover a uma cultura de respeito, de diálogo, de amizade”. O papa Bento XVI tem presente, em sua mensagem para esta ocasião, que a revolução tecnológica e os processos de globalização forjaram o mundo como uma grande cultura midiática e que a Igreja não pode prescindir dessa realidade.

De fato, o desafio atual dos discípulos e discípulas de Jesus é utilizar a linguagem adequada proporcionada pelas novas tecnologias, como condição para serem escutados numa sociedade marcada por amplo pluralismo social, cultural e religioso. Nesse contexto, são chamados a promover relações solidárias geradoras de justiça e de paz, garantia de vida digna para todos e de participação no Reino inaugurado por Jesus.

Padre Valdir José de Castro, SSP.


sexta-feira, 22 de maio de 2009

Museus Digitais do Mundo Inteiro gratuitamente!!!



Imagine poder conhecer materiais disponíveis em museus de todo o mundo como da Rússia, por exemplo. Isso é realidade agora.

A UNESCO criou o site Biblioteca Mundia Digital, que pode ser conhecido
aqui.

Lá, qual quer internauta pode conhecer as obras e também realizar downloads, já que por ser obras antigas, elas não possuem mais direitos autorais.


É uma boa oportunidade para enriquecer-se culturalmente.


PS: a imagem acima é o site da Biblioteca.

Marina Silva Presidente!!!

Há na internet um movimento que se inicia buscando dar publicidade à ideia de ter a Marina Silva, ex-ministra como futura candidata à presidência do Brasil.

Essa mulher fez um trabalho maravilhoso no Ministério do Meio Ambiente. Durante sua gestão, ela montou uma equipe altamente técnica nas principais pastas do Meio Ambiente e lutou para fazer funcionar as leis que estavam empoeiradas nas prateleiras de Brasília. Tanto que ela se afastou na hora que ela viu que não tinha mais base de sustentação do governo Lula.


Como ela mesmo disse, preferiu ver o filho nos braços de outros para não vê-lo morto em seus braços...


Quando minha turma de Gestão Ambiental, formou-se em 2005 na ESALQ, lutamos para que ela fosse a nossa paraninfa. Abrimos mão de dinheiro que é praxe dos paraninfos na ESALQ. O nosso objetivo era dar a ela a oportunidade de falar por meia hora na catedral da agricultura, onde só eram convidados ministros da agricultura, principalmente se esalqueanos fossem.

Esse trabalho é apartidário num primeiro momento, pois se ela entrar nesta luta, dificilmente será pelo PT.

Aqui você pode encontrar o site com mais informações da campanha.

No site há 11 motivos para Marina ser presidente:

1. Compreensão da Sustentabilidade.
2. Reconhecimento internacional em um contexto de profunda crise ambiental.
3. Capacidade de promover a consciência ética.
4. Compromisso com a Educação e com as presentes e futuras gerações
5. Autenticidade do feminino na política.
6. Experiência no poder legislativo e de gestão no executivo.
7. Trajetória política exemplar e amplamente reconhecida.
8. Integra senso de conciliação com clara postura política.
9. Liderança histórica nos movimentos sociais.
10. Presença respeitada na opinião pública brasileira.
11. Exemplo de integração da praxis política, social, ambiental, educacional e espiritual.


Vamos lá, se você acredita no trabalho desta mulher, reflita essa opção!!!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Proibição de estudantes uniformizados em Lan Houses.

Existe um projeto de lei na Câmara Municipal de Limeira, de autoria da vereadora Nilce Segalla (PTB) que dispõe sobre a proibição da permanência de estudantes uniformizados em estabelecimentos de lan house, que tenham finalidade lucrativas, sob o número 139/09.

Deve ser totalmente necessário o esforço da Casa em legislar sobre a questão dos alunos que se ausentam das escolas e vão apenas entreter-se com jogos. Como estão em horários de aulas, seus pais presumem que estejam estudando e não estão.

A charge acima é de autoria do Angeli e que pode ser vista aqui, faz uma interessante reflexão sobre o tema.

Mas fico com uma dúvida prática: e se a criança levar uma camiseta na mochila e trocá-la, aí a lei não pega?!?! Como poderia ser feito para resolver isso? A dúvida está lançada.

Lógico que também, por outro lado, se um guarda ver uma criança uniformizada fora da escola, ele terá uma lei para se balizar e agir, mas em todo caso, fica ainda uma lacuna a ser refletida ou esclarecida.


Biografia não autorizada do FHC.


Em 2009, estamos no sétimo ano de governo do presidente Lula.

Há a fama de que nós brasileiro, temos memória curta quando se diz sobre política.

O cartunista Angeli tem em seu site uma interessante coletânea conhecida como Biografia não autorizada do FHC que mostram todas as charges que ele fez relacionando o presidente de então com os acontecimentos políticos.

Vale a pena conhcer! Você pode ver clicando aqui.

A charge ao lado foi tirada de lá.

Vendo as imagens que retratam momentos políticos que o governo vivia, é interessante perceber que em muitas delas, como por exemplo, as entregas aos legisladores para compor a maioria na Câmara, nada difere do que vemos hoje.

É interessante que se mudarmos a imagem do FHC para o Lula, é possível vermos como se fosse 2009.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Sobre nossa participação na Política.

Recebi este video por e-mail e não sei de que programa de televisão ele pertence, mas o Sr. Luis Carlos Prates passa uma mensagem contundente, mas necessária.

Foi de fato um desabafo, afinal não é nada fácil ver essas pessoas que deveriam estar defendendo causas coletivas e estão defendendo apenas o próprio bolso.

Deveríamos prestar mais atenção no que ele fala. Discordo do ponto de que deveríamos ir até Brasília e destituir esses polítocos vigarista do poder, mas se nós nos organizássemos mais, conseguiríamos destituí-los através de:

- pressão pública e popular para pressionar juízes em audiências para julgar improbidade administrativa;

- pressão popular para que nossos representantes trabalhem para o povo e não apenas vivam às custas do povo;

- pressionando para o que eles deveriam buscar enquanto legisladores e não deixar este papel apenas para lobistas pagos por empresas e particulares.

Esse descaso com a coisa pública é sim de todos nós e enquanto não assumirmos nosso papel, só reclamar não adiantará.

Vale a pena ouvir o comentário e refletir depois.



video

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Você conhece o hino de nossa cidade?

Vivência da cidadania não é mais uma prática para muitos cidadãos.

Lembro-me quando estava no ensino fundamental no Sesi e que todas as turmas tinham que cantar o Hino Nacional todas as manhãs de quarta-feira. Às vezes, cantávamos também o Hino da Independência e o Hino de Limeira.


Segue abaixo o Hino de Limeira, disponível no site da prefeitura.

Música: Prof.ª Dyrcéia Ricci Ciarrochi
Letra: Dr. Guilherme Mallet Guimarães
Harmonização: Mário Tintori

Chão bendito de berços gloriosos
Tua origem uma linda limeira,
Fundada por labores ditosos
És cidade tão bela e faceira

Frutas doces, colhemos aos montes
Pomares verdejantes com flores
Laranjais circundam as fontes
Acariciando a vida de amores.


Tuas indústrias crescem e agigantam
As grandezas de nosso porvir
Jardins - Praças todos se encantam
Com músicas sonoras a ouvir.

Frutas doces, colhemos aos montes
Pomares verdejantes com flores
Laranjais circundam as fontes
Acariciando a vida de amores.

Povo amigo de ação relevante
Nossas escolas padrões elevados
Nossa fé seguirá triunfante
Sendo os mestres heróis abençoados.

Frutas doces, colhemos aos montes
Pomares verdejantes com flores
Laranjais circundam as fontes
Acariciando a vida de amores.

Limeira! Limeira!

Compra de um monte de imóveis enquanto se corta despesas


Com as recentes publicações sobre desapropriações, abandono de imóveis comprado pela Prefeitura Muncipal de Limeira e os regimes de contenção de gastos me deixam com algumas indagações.

Se qualquer comerciante verificar que suas vendas estão caindo, ele deverá cortar custos e isto é, num primeiro momento, necessário pois ele não pode colocar a liquidez da empresa em risco. Liquidez é a capacidade de pagamento de suas despesas com recursos disponíveis em caixa e com as propriedades que possui.

Se em vez de reservar, ele começa a fazer investimentos, com os recursos poupados, como compra de outras lojas para iniciar seu uso alguns anos depois, todos o internarão, afinal ele ficou louco: cortar despesas e comprometer essa economia com investimentos para o longo prazo, como assim....

E é bem isso o que a atual administração vem fazendo. Ela corta despesas da prefeitura e oferece no máximo 2% de aumento para os funcionários, quando prefeituras da região oferecem por volta de 6%. Mas nos jornais, sempre há a estampa de manchetes falando que a prefeitura, literalmente, saiu às compras, nos deixa em dúvida.

O prefeito em sua campanha eleitoral, propagava que era um administrador no comando da prefeitura. Mas com os conhecimentos que tenho de administração que desenvolvi na minha graduação, sei que não se faz investimentos de médio e longo prazo, quando você não possui recursos em curto prazo, pois isso sacrifica perigosamente o fluxo de caixa da empresa.

Os mais desavisados podem alegar que o que o prefeito vem fazendo é investir no combate a crise através da disponibilização de infra-estrutura para atração de novos empreendimentos, que são geradores de recursos e empregos para a nossa cidade.

Mas por outro lado, sabemos que essas empresas não se instalarão aqui em 6 meses, e também, que Limeira já disponibilizou outras áreas em tempos passados. Onde estão aquelas dezenas de empresas que foram prometidas no primeiro mandato? Basta ver os distritos que já existem na Limeira-Piracicaba e Limeira-Iracemápolis. Dá para contar nos dedos da mão a quantidade de empresas já instaladas.

O que a atual gestão precisa é ser mais gestora sim, e saber gerenciar os conflitos que aí estão e não sair apenas às compras. Porque comprar sem utilizar adequadamente gera desgastes, depreciação e ociosidade do custo de oportunidade com os recursos imobilizados...

PS: a imagem de prefeito fei retirada da capa do Jornal de Limeira, disponível aqui.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Caso Águas de Limeira

Eu sempre tive muito respeito pelo trabalho executado pela empresa Águas de Limeira. É fato que o trabalho que ela faz é exemplar, tanto que todos os prêmios que ela recebeu demosntram isso.

Mas o recente caso sobre a prorrogação, na minha humilde opinião pois tudo isso em risco, risco de credibilidade...


Desempenho operacional é uma questão interna da empresa e nisso ela é indiscutível boa, mas em questão da concessão, todos nós, LIMEIRENSE, somos parte interessada. A Águas de Limeira, como empresa responsável, deve respeitar todas as partes interessadas, corporativamente conhecidas como stakeholders.


Se você conversar com um morador de uma casa alugada e mandar ele estender o contrato, dizer que ele tem 5 minutos para decidir, ele com certeza, falará NÃO! Sem ter tempo para pensar não respondo.


Mas neste caso, a população de Limeira, através de seus representantes eleitos, recebeu isso em mãos e em pouco tempo, teve que aprovar ou recusa, já que uma parte de nossos representantes aprovaram que ela fosse votada em regime de urgência...


Citei acima através dos representantes, porque nós como cidadãos legítimos, não fomos ouvidos. Isso é um absurdo. O que eles aprovaram no último dia 30, não foi a mudança de um nome de um logradouro, ou o local da colocação de uma placa. O que eles aprovaram foi que nós limeirense, entregaremos nosso sistema de água e esgoto para uma empresa, sem haver concorrência, para os próximos 30 anos.


Não sou contra o sistema de concessão, pelo contrário, acho que em muitos casos, como nas rodovias, eles trouxeram muito mais segurança, onde o Poder Público não tem capacidade de atuar. Mas o que sou contra é entregar o serviço para uma empresa sem passar pelo processo de licitação.


Como cidadão, fico curioso em saber o porquê dos vereadores terem decidido pela extrema urgência desse processo. Esse caso é muito importante para a nossa cidade e muitas audiências públicas deveriam ser montadas para levar essa questão à população, para que todos pudessem discutir e tirarem todas as suas dúvidas.


Não nos ouviram e tomaram a decisão assim, rápido, em horário estranho (veja o que foi postado por mim aqui no dia 30 de abril). Esse caso mostrou que muitos na Câmara não tomaram a decisão pensando no povo e sim por outros motivos, que espero que seja bem esclarecido depois.


Muitos nobres vereradores, em suas justificativas, alegaram que ouviram suas bases. Mas aí, pergunto: Que base? 10 pessoas? 100 pessoas? Porque acreditaria sim, que as bases queriam se eles mostrassem no processo de discussão o resultado das audiências públicas que a maioria da população queria. E a população disse NÃO, como foi mostrado em enquetes realizadas pelos meios de comunicação como o site da própria Câmara Municipal.

Outros vereadores justificaram seus votos, pedindo que o nosso prefeito busque mais informações. Poxa, nobres vereadores, nós não bancamos os senhores para passarem a bola para a frente e sim para discutirem e lutarem por nossa cidade e não lavar suas mãos e passarem para outros a responsabilidade...

Vamos ver como isso se encaminha nos próximos passos...

Para esse juiz, sim, temos que dar todo o nosso respeito!



Já tinha visto uma reportagem na televisão sobre o senhor juiz Odilon de Oliveira.
Ele teve a coragem de colocar toda a vida dele, mais as regalias de um nobre representante do Judiciário, que não são poucas aliás, para pôr grandes traficantes atrás das grades. Segue abaixo uma reportagem que recebi por e-mail.

Não sei a fonte desta reportagem, mas clicando aqui, você pode ler outra reportagem maior sobre seus serviços prestados a toda a sociedade brasileira.


O nome "Odilon Oliveira" sim deveria ser nome de praças, cidades, rodovias, e outras construções públicas, e não nomes como Luiz Eduardo Magalhães, Mário Covas e José Sarney...


"PARA QUE O MAL PERDURE É PRECISO QUE OS HOMENS DE BEM NÃO FAÇAM NADA..."


UM JUIZ NOTA DEZ!!!!!

Odilon de Oliveira, de 56 anos, estende o colchonete no piso frio da sala, puxa o edredom e prepara-se para dormir ali mesmo, no chão, sob a vigilância de sete agentes federais fortemente armados. Oliveira é juiz federal em Ponta Porã, cidade de Mato Grosso do Sul na fronteira com o Paraguai e, jurado de morte pelo crime organizado, está morando no fórum da cidade. Só sai quando extremamente necessário, sob forte escolta.

Em um ano, o juiz condenou 114 traficantes a penas, somadas, de 919 anos e 6 meses de cadeia, e ainda confiscou seus bens. Como os que pôs atrás das grades, ele perdeu a liberdade. 'A única diferença é que tenho a chave da minha prisão.'
Traficantes brasileiros que agem no Paraguai se dispõem a pagar US$ 300 mil para vê-lo morto.

Desde junho do ano passado, quando o juiz assumiu a vara de Ponta Porã, porta de entrada da cocaína e da maconha distribuídas em grande parte do País, as organizações criminosas tiveram muitas baixas. Nos últimos 12 meses, sua vara foi a que mais condenou traficantes no País.
Oliveira confiscou ainda 12 fazendas, num total de 12.832 hectares, 3 mansões - uma, em Ponta Porã, avaliada em R$ 5,8 milhões - 3 apartamentos, 3 casas, dezenas de veículos e 3 aviões, tudo comprado com dinheiro das drogas. Por meio de telefonemas, cartas anônimas e avisos mandados por presos, Oliveira soube que estavam dispostos a comprar sua morte. 'Os agentes descobriram planos para me matar, inicialmente com oferta de US$100 mil.' No dia 26 de junho, o jornal paraguaio Lá Nación informou que a cotação do juiz no mercado do crime encomendado havia subido para US$ 300 mil. 'Estou valorizado', brincou.

Ele recebeu um carro com blindagem para tiros de fuzil AR-15 e passou a andar escoltado. Para preservar a família, mudou-se para o quartel do Exército e em seguida para um hotel. Há duas semanas, decidiu transformar o prédio do Fórum Federal em casa. 'No hotel, a escolta chamava muito a atenção e dava despesa para a PF.'

É o único caso de juiz que vive confinado no Brasil. A sala de despachos de Oliveira virou quarto de dormir. No armário de madeira, antes abarr otado de processos, estão colchonete, roupas de cama e objetos de uso pessoal. O banheiro privativo ganhou chuveiro. A família - mulher, filho e duas filhas, que ia mudar para Ponta Porã, teve de continuar em Campo Grande. O juiz só vai para casa a cada 15 dias, com seguranças. Oliveira teve de abrir mão dos restaurantes e almoça um marmitex, comprado em locais estratégicos, porque o juiz já foi ameaçado de envenenamento. O jantar é feito ali mesmo.

Entre um processo e outro, toma um suco ou come uma fruta. 'Sozinho, não me arrisco a sair nem na calçada.'
Uma sala de audiências virou dormitório, com três beliches e televisão. Quando o juiz precisa cortar o cabelo, veste colete à prova de bala e sai com a escolta. 'Estou aqui há um ano e nem conheço a cidade.' Na última ida a um shopping, foi abordado por um traficante. Os agentes tiveram de intervir. Hora extra. Azar do tráfico que o juiz tenha de ficar recluso. Acostumado a deitar cedo e levantar de madrugada, ele preenche o tempo com trabalho. De seu 'bunker', auxiliado por funcionários que trabalham até alta noite, vai disparando sentenças. Como a que condenou o mega traficante Erineu Domingos Soligo, o Pingo, a 26 anos e 4 meses de reclusão, mais multa de R$ 285 mil e o confisco de R$ 2,4 milhões resultantes de lavagem de dinheiro, além da perda de duas fazendas, dois terrenos e todo o gado.

Carlos Pavão Espíndola foi condenado a 10 anos de prisão e multa de R$ 28,6 mil. Os irmãos , condenados respectivamente a 21 anos de reclusão e multa de R$78,5 mil e 16 anos de reclusão, mais multa de R$56 mil, perderam três fazendas. O mega traficante Carlos Alberto da Silva Duro pegou 11 anos, multa de R$82,3 mil e perdeu R$ 733 mil, três terrenos e uma caminhonete. Aldo José Marques Brandão pegou 27 anos, mais multa de R$ 272 mil, e teve confiscados R$ 875 mil e uma fazenda.
Doze réus foram extraditados do Paraguai a pedido do juiz, inclusive o 'rei da soja' no país vizinho, Odacir Antonio Dametto, e Sandro Mendonça do Nascimento, braço direito do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. 'As autoridades paraguaias passaram a colaborar porque estão vendo os criminosos serem condenados.'

O juiz não se intimida com as ameaças e não se rende a apelos da família, que quer vê-lo longe desse barril de pólvora.

Ele é titular de uma vara em Campo Grande e poderia ser transferido, mas acha 'dever de ofício' enfrentar o narcotráfico. '
Quem traz mais danos à sociedade é mega traficante. Não posso ignorar isso e prender só mulas (pequenos traficantes) em troca de dormir tranqüilo e andar sem segurança.




Terceirização da merenda escolar


Como todos sabem, Limeira terceirizou seu serviço de merenda escolar há alguns anos para a SP Alimentação.

Este tema é polêmico, pois muitos aprovam e muitos questionam.

Para reforçar a reflexão, segue abaixo uma resenha sobre um artigo publicado no periódico Le Monde Diplomatique falando sobre o processo este processo.
A resenha foi montada pela cientista dos Alimentos, Graziela Francischetti.



A Terceirização da Comida

A alimentação escolar é um direito constitucional dos estudantes e uma obrigação do poder público. Delegar essa tarefa a empresas terceirizadas de refeições coletivas revela a falta de compromisso do Estado com a educação pública de qualidade e a promoção da segurança alimentar e nutricional.

PELO COLETIVO DO FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL*


No Brasil, toda criança e adolescente que cursa o ensino fundamental em escolas públicas têm direito a receber alimentação no período em que fica na escola. Esse direito está previsto na Constituição Federal, no capítulo da “Ordem Social” Art. 208 inciso VII 1. Essa obrigação do Estado é cumprida por meio de uma política pública que conhecemos como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), sob a responsabilidade do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão do Ministério da Educação.
O PNAE é uma das políticas públicas estratégicas para a garantia da segurança alimentar e nutricional dos escolares que cursam o ensino fundamental.
Toda a criança em sala de aula tem direito de dispor das refeições oferecidas pelo programa, sem quaisquer discriminações ou exceções. O orçamento aprovado para 2009 é da ordem de 2,1 bilhões de reais, apenas contabilizando os recursos federais, devendo alcançar 44 milhões de refeições servidas por dia. Esse valor coloca o PNAE como um dos maiores e permanentes compradores públicos de alimentos para o abastecimento das escolas, durante cerca de 200 dias letivos. Trata-se, portanto, de um mercado institucional público de grandes dimensões e com forte capilaridade nacional, porque está presente na maioria dos municípios.
O PNAE é uma política pública bem estabelecida em todo o país, com forte capacidade para influenciar no desenvolvimento local. Suas potencialidades associadas, de maneira sinérgica, às políticas que fortalecem a agricultura familiar podem desencadear um próspero e virtuoso ciclo para o desenvolvimento local como promotores da segurança alimentar e nutricional.
Mas ao ser encaminhado para a apreciação do Senado, segmentos do setor privado das indústrias de alimentos e da bancada ruralista manifestaram posição contrária ao projeto, com o objetivo de tentar, mais uma vez, monopolizar o mercado institucional da alimentação escolar. Essa posição está expressa no parecer do Relator do PL pela Comissão de Constituição e Justiça, Senador Francisco Dornelles (PP–RJ), que propõe a supressão do parágrafo 8º do Art. 4º e do Art. 13º que tratam respectivamente da vedação à terceirização e da compra da agricultura familiar. São forças declaradamente contrárias à educação pública de qualidade e do fortalecimento dos agricultores e agricultoras familiares.
Face ao exposto, apresenta-se a seguir algumas razões pelas quais o coletivo do FBSAN (Fórum Brasileiro de Segurança Alimentar e Nutricional) se coloca frontalmente contrário à terceirização da alimentação escolar, isto é, delegar para empresas terceiras externas ao projeto pedagógico da escola a função pública de implementar o Programa Nacional da Alimentação Escolar (PNAE).
1) Alimentação escolar é parte integrante do projeto pedagógico: educar é uma tarefa coletiva e complexa, que envolve toda a sociedade;
2) Alimentação escolar é um direito dos escolares e uma obrigação do Estado;
3) A terceirização piora a qualidade da alimentação escolar: É dever do poder público se organizar para isso. Os que defendem a terceirização da alimentação escolar argumentam que as empresas privadas podem realizar essa tarefa com mais qualidade, a um custo menor. Entretanto, resultados de auditorias do Tribunal de Contas da União demonstram que a terceirização da alimentação escolar piora a qualidade do programa, gera danos aos escolares e custos aos cofres públicos. Foram constatados inúmeros problemas: fornecimento de alimentos de má qualidade; utilização inadequada de utensílios; problemas na higienização dos refeitórios; desperdício de insumos; rejeição das crianças; utilização de alimentos com validade vencida; descumprimento das regras de distribuição, armazenamento e higiene; material de limpeza insuficiente; utilização de insumos artificiais ao invés de naturais previstos no cardápio; má preparação da merenda; equipamentos insuficientes; desvio de merenda, entre outros;
4) A terceirização concentra a renda apenas para os donos das empresas: Os gastos com a operacionalização do programa, a contratação de gestores e merendeiras, deve ser visto como investimento social, geração de emprego e renda local. Existem denúncias graves de corrupção e desvios de recursos do programa, como já é de amplo conhecimento público os casos de Londrina (PR), São Paulo (SP) e do estado do Espírito Santo. Tudo isso feito para aumentar os lucros das empresas e concentrar a verba do PNAE na mão de alguns poucos empresários da alimentação coletiva.
O FBSAN reafirma que alimentação escolar é um direito constitucional dos escolares e uma obrigação do poder público. Delegar essa obrigação para empresas de terceirização de refeições coletivas, que pouco ou nada tem a ver com o processo de ensino aprendizagem dos escolares, revela a falta de compromisso do Estado com a educação pública de qualidade e com a promoção da segurança alimentar e nutricional. A alimentação dos escolares não pode ser encarada como mercadoria negociável com o setor privado. Defendemos que os recursos públicos do PNAE sejam, efetivamente, utilizados para sua finalidade original de promover a alimentação adequada e saudável dos escolares, e que sejam direcionados para o fortalecimento do papel estratégico da agricultura familiar, no contexto da soberania e da segurança alimentar e nutricional do país.

*O Fórum Brasileiro de Segurança Alimentar e Nutricional (FBSAN), criado em 1998, tem como objetivo promover uma mobilização social no campo da segurança alimentar e nutricional no Brasil e é formado por diversas ONGs, movimentos sociais, redes e entidades.


Fonte: Le Monde Diplomatique Brasil, p. 22-23, abril de 2009. (clique aqui para ler na íntegra o artigo). A imagem acima foi tirada do próprio artigo.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Isso que é estrutura não letal de proteção...




A foto acima foi publicada no site da Folha de São Paulo (veja aqui) com os seguintes dizeres: "Policial vigia local onde atentado matou quatro membros das forças de segurança e feriu outras oito pessoas no Paquistão"

Nossa, isso que é estrutura de proteção! Na foto podemos ver um monte de pessoas próximas. Imagina se um terrorista decide atacar, será uma carnificina e tanto...

Como acordar, vestir-se e tomar café da manhã em 5 minutos.

A capacidade dos japoneses realmente é incrível...

Segue um interessante video japonês sobre as façanhas de um cidadão, que por questão de ignorância da língua, não poderei citar aqui o nome.

Ele consegue acordar, tirar o pijama, fazer o café da manhã, tomar café, escovar os dentes e e colocar a roupa, que não é nada mais, nada menos, terno e gravata... e tudo isso ele faz em menos de 5 minutos!!!

Vale a pena assistir!

E no final ele ensina como fazer as traquinagens: vestir as calças sem usar as mãos, colocar o terno sem tirar do cabide, e dar nó da gravata em poucos segundos... boa instrução.

Eu demoro mais de 5 minutos só para sair da cama....


video

Refrigerante com subtâncias cancerígenas.

Uma vez recebi um e-mail falando sobre a existência de substâncias cancerígenas em um determinado refrigerante. Passei para todos os meus contatos achando que estava fazendo um ótimo serviço para a sociedade.

Algumas horas depois, recebi vários e-mails alertando que aquilo era falso, mais um trote da internet... prometi nunca mais mandar esses tipos de correntes. De fato, recebi várias vezes depois aquele mesmo e-mail, mas referindo-se a outras marcas de refrigerantes...

Mas não é que a entidade Pro-Teste - Associção Brasileira de Defesa do Consumidor realizou um teste e encontrou substâncias cancerígenas em alguns refrigerantes.

No link ao lado é possível ler a reportagem completa. http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u560464.shtml

Segue uma tabela mostrando quais marcas possuíam a substância benzeno:


Na reportagem, há a citação de que as quantidades não são grande, mas devido a capacidade carcinogênica da substância, não há limites seguros de ingestão.

PS: uma das marcas que recebi em e-mail estão entre as que contém a substância.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Ordem do Dia - Câmara Municipal



Para quem quer conhecer melhor e acompanhar os trabalhos da Câmara de Vereadores.
Segue a Ordem do Dia 04 de maio

Ordem do Dia

Sessão Ordinária – 4 de Maio de 2009

Plenário “Vereador Vitório Bortolan” – 18h

I – Projeto de Lei nº. 249/03, de autoria do vereador Eliseu Daniel dos Santos, que dispõe sobre a realização de eventos de grande porte no município de Limeira e da outras providências.

II - Projeto de Lei nº.252/07, de autoria do vereador Antônio César Cortez, que dispõe sobre a proibição de lixões e depósitos de todo e qualquer tipo de material tóxico em qualquer área do município de Limeira.

III – Projeto de Lei nº. 186/08, de autoria do vereador Carlos Eduardo da Silva, que dispõe sobre a revogação da Lei nº. 3613, de 28 de agosto de 2003.

IV – Projeto de Lei nº. 10/09, de autoria do vereador Raul Nilsen Filho, que dispõe sobre afixação de orientação sobre DPVAT (Seguro Obrigatório de Danos causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres) em estabelecimentos de prestação de serviços de saúde público ou privados e funerárias do município de Limeira, e dá outras providências.

V – Projeto de Lei nº. 84/09, de autoria da vereadora Nilce Segalla, que dispõe sobre a proibição de veículos automotores e motocicletas sem identificação a estacionarem em vagas reservadas exclusivamente a pessoas portadoras de necessidades especiais e dá outras providências.

VI – Projeto de Lei nº. 98/09, de autoria da vereadora Nilce Segalla, que dispõe sobre a obrigatoriedade aos estabelecimentos comerciais que comercializarem produtos acondicionados em embalagens descartáveis , a fixarem placas educativas ao público consumidor, com os seguintes dizeres “NÃO JOGUE EMBALAGENS DESCARTÁVEIS ÀS MARGENS DE ESTRADAS, RIOS E LAGOAS, PRESERVE O MEIO AMBIENTE” e dá outras providências.

Pauta divulgada pela assessoria de comunicação da Câmara Municipal de Limeira - imp_presidencia@camaralimeira.sp.gov.br

Museu da Corrupção.

Para quem tiver interesse, segue um interessantíssimo site criado pelo Diário do Comércio, onde foi empreendido uma tarefa nada pequena - Museu da Corrupção.



A ideia foi a compilação de parte dos escândalos políticos, operações da Polícia Federal e destaques sobre corrupção no Brasil.

Vale ser descrita a capacidade dos servidores da PF em criar nomes para as operações. Outra curiosidade é o espaço Edemar Cid Ferreira. Ex-dono do Banco Santos, o espaço além de contar sobre as fraudes, tem imagens de obras de sua propriedade.

O site é http://www.dcomercio.com.br/especiais/2009/museu/home.htm.

Papel da Sociedade como Fiscal das Autoridades.




Infelizmente, muitas pessoas julgam que seu papel como cidadãos terminam quando se aperta a tecla verde da Urna Eletrônica. Na verdade, é aí que ela inicia...

Este espaço tem menos de 1 semana, mas já está recebendo apoio de outras pessoas, o que é muito bom e frutuoso.
Segue abaixo um texto que recebi que muito se assemelha a práticas não leais com a sociedade, como por exemplo, usar do poder da discricionariedade para antecipar para tarde a discussão sobre a prorrogação da concessão dos serviços de saneamento ambiental em Limeira.

Infelizmente, vemos que isso é prática usual em outros locais de nosso país.


SÃO BENTO DO UNA EXPORTA MODELO DE DEMOCRACIA

A maioria dos brasileiros, totalmente descrentes com a política e com a democracia, por certo também não acreditarão que num município do interior do Estado de Pernambuco, com 50 mil habitantes, chamado pelo singelo nome de São Bento do Una, está acontecendo uma forma de democracia participativa de dar inveja a todos aqueles que se propõem a lutar pela transformação da política pela via da construção da cidadania.

Foi num jornal da Globo News, levado ao ar no último dia 17 de abril, quando os âncoras e comentaristas tratavam da matéria relativa às verbas para custear viagens de familiares de deputados e senadores, com comentários ácidos sobre o comportamento dos parlamentares para com os recursos públicos, que apareceu, em complemento, a matéria sobre a Câmara de Vereadores de São Bento do Una.


Depois de aguçar a indignação do telespectador, com exemplos reais do que fazem e do que falam os congressistas a respeito do seu “direito” de pagar passagens para esposas(os), filhas(os), ou namoradas(os), inclusive para o exterior – destaque-se aqui a frase de um senador de um tremendo mau gosto: “namorada pode quando é bonita” - a reportagem mostra reuniões da Câmara de Vereadores, lá do interior de Pernambuco, com as acomodações destinadas ao público, totalmente apinhadas com a presença dos cidadãos daquela cidade, inclusive acompanhando pelas janelas, conferindo de perto e pessoalmente o que fazem e como se comportam os seus eleitos.

Pelo que as câmeras filmaram deu para perceber que as acomodações destinadas ao publico não estavam apinhadas por causa do tamanho de seu espaço que é maior do que o que temos na Câmara de Vereadores de Piracicaba, mas simplesmente porque é grande o numero de pessoas que comparece e se interessa verdadeiramente pelos assuntos que são tratados.

Na matéria também ficou claro que esse comparecimento não acontece esporadicamente, mas é normal em todas as reuniões do legislativo daquela cidade. E muitos cidadãos assim o fazem por força de uma consciência cidadã, certos da responsabilidade que carregam sobre os ombros pelo comportamento daqueles outros cidadãos que lá colocaram através do seu voto. Mesmo que isso lhes custe o sacrifício de ter que andar sete km, desde a sua moradia na zona rural, até a Casa de Leis.

Mas o que realmente impressionou a todos os que assistiram o jornal, foi a clareza com que os entrevistados se expressaram, demonstrando uma consciência política aprimorada, alem da responsabilidade cidadã que todos os brasileiros deveriam ter. Bem ao contrário das barbaridades que tinham ouvido dos parlamentares congressistas, minutos antes, no mesmo jornal.

Só que a matéria jornalística não parou por aí e, como não poderia deixar de ser, abordou a condição de incomodo, manifestada pelos vereadores, que essa presença cidadã tem provocado, ao ponto de os “nobres” edis já estarem pensando em mudar o horário da reunião que é realizada a noite, para outro horário, durante o dia, com a desculpa esfarrapada de que haveria necessidade de se economizar energia elétrica. E provavelmente, esse povo todo não teria condição de comparecer por estar em horário de trabalho.


Não acreditamos que a consciência e a responsabilidade da população, sobejamente demonstradas na reportagem, vá permitir que os vereadores votem a lei para a mudança de horário. Para fortalecer a resistência do povo seria muito importante que todos os brasileiros, que sentiram nesse exemplo da população de São Bento do Una, uma motivação para voltarem a acreditar que a transformação da política é possível, enviassem sua manifestação de apoio ao povo, via internet ou correio, endereçadas à Rede Globo, ao Prefeito, ao Presidente da Câmara e aos órgãos de comunicação daquela cidade.


É uma semente da nova democracia que germinou e está brotando naquele rincão brasileiro e todos nós temos a nossa parcela de responsabilidade em fazê-la crescer e frutificar.

ANTONIO OSWALDO STOREL – Coordenador do CNLB – Diocese de Piracicaba.
Em 20/04/09